No último dia 24 de janeiro a AMBFFM iniciou o processo de formação continuada com os educadores e voluntários da Organização. Sob a orientação da Pedagoga Quezia Albano, também Presidente da Organização, que de forma voluntária vem desenvolvendo a formação pedagógica continuada durante o ano junto a equipe técnica, Pedagógica da organização.








Partindo do pensamento de Paulo Freire de que  “Não existe docência sem discência. Quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender”, a pedagoga iniciou os trabalhos após uma dinâmica de grupo apresentando os objetivos e metas de cada projeto.
Em seguida foram apresentadas as tecnologias sociais que serão utilizadas como metodologias nas práticas pedagógicas e de formação cidadã dos projetos onde terão como foco Trabalhar com as crianças educação social e financeira, para que elas possam aprender sobre si mesmas, sobre os seus direitos, sobre economia, conceitos financeiros básicos e empresa através da Tecnologia social Aflatoon e Aflateen. A Tecnologia Brincando nos fortalecemos que apresenta uma proposta de trabalho para a prevenção dos maus-tratos e da violência sexual na infância e na adolescência, elaborada pelo Programa CLAVES da Juventude para Cristo no Uruguai. E o MJPOP que objetiva preparar os jovens para avaliar a qualidade da prestação de serviços públicos, a metodologia se tornou uma ferramenta de mobilização comunitária, com o fim de identificar e analisar os problemas que afetam as comunidades, avaliar os serviços fornecidos a esta, e promover um amplo debate entre comunidade, organizações da sociedade civil e poder público sobre as possíveis soluções, não apenas relativas aos problemas encontrados, mas também às estruturas que os mantém, tais como as políticas públicas municipais e o recurso destinado a elas.
Os encontros de formação acontecem duas vezes ao mês e serão conduzidos pela Pedagoga Quezia Albano, a Gestora e Assistente Social Maria Domingas Pereira e a Educadora Social e Assistente Social Rosangela Borba.